"O amor não envergonha, não rejeita. O amor incita a crescer, inovar, criar.
O amor transforma, aflora sentimentos nobres".







 

sábado, 1 de dezembro de 2007

Dancing with The Stars- PLUS Dezembro 2007 -Jade da Rocha

A nova edição da PLUS , celebra o final de 2007 com brilho e sucesso de personalidades que acrescentam positivamente no nosso dia a dia em sua passagem pelo planeta terra deixando aqui uma marca ou somente as sombras…..Enjoy $$$
$$$ Sou fã de carterinha do Helio Castro Neves e estou sempre torcendo por ele nas pistas de corrida em Homestead/ Florida e na telinha.
E ele contagia todo o planeta com o seu charme e desempenho no show Dancing with The Stars sendo considerado o melhor dançarino do ano.

Se depender de mim o título fica com Helio Castro Neves. Vote você também para o Helio + Julianne Hough…1800-8683409 – Photo ABC


sábado, 17 de novembro de 2007

Love Is










 

Love is drops of rain
When I find myself thinking of you
Love is the encounter of two hearts,
With the impossibility of being apart
Every morn and every night
Love is brighter than sunshine.
It's glittering like the stars.
It's the wandering of desires.
It's the youth that arises in our dreams.
Love is when the fire goes up
And you can't give up on.
It's the simplicity of holding hands
It's the sacrifice of keeping
This love in a distance....
For this love until existence prevail;
I will make beds of flowers
You will lay upon
Million mixed scent
Over the splendor of our garden...nor for
 Pleasure or desires....
 For resting your soul in my arms.

-Jade da Rocha

terça-feira, 6 de novembro de 2007

PLUS - Edição Novembro 2007 by Jade da Rocha


Enquanto no Brasil começa a celebração para a chegada do verão nós aqui no Hemisfério Norte sentimos a mudança da estação... a chegada dos pássaros na Flórida…podendo apreciar o colorido das folhagens nas montanhas em North Carolina e o clima fresco e ensolarado que incita romance…..risos

Venha celebrar com a PLUS a chegada da nova estação….Tim Tim!!!!!!



$$$ Dr. Rey é top in Beverly Hills e em todo o planeta pelo carisma e profissionalismo e mesmo vivendo grande parte de sua vida fora do Brasil não perdeu a paixão pela cultura brasileira a qual revela na telinha para os quarto cantos do planeta.

sábado, 22 de setembro de 2007

PLUS - Edição Setembro 2007 by Jade da Rocha

Vem brindar conosco esta edição da PLUS que reune luxo, brilho, beleza , elegância, sucesso…
Champagne para todos….Tin-Tin $$$$



$$$ Gisele Bundchen é top do planeta…
E mostra que beleza e cérebro faz parte dos açessórios da mulher; concientizando a humanidade na preservação da água apoiando o “Yikatu Xingu” , “Nascentes do Brasil” e “De Olho nos Mananciais”.
Gisele Bundchen é capa da Vanity Fair setembro/2007 na qual exibe o Brasil em 20 páginas, mostrando o que o Brasil tem de melhor “Boys and Girls”….rsss.

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

A IMORTAL RITA LEE!!! by Jade da Rocha

Com o nascimento da ERA TROPICALIA;
 uma revolução musical iniciada por Caetano Veloso, Gal Costa, Tom Zé,Gilberto Gil, Rogerio Duprat e outros....a música popular brasileira ganha um dos maiores talentos musicais; Rita Lee. E nos passamos a ser uma geração que nasceu com Rita Lee......
Rita Lee consegue transpor através da música sua maneira diferente de pensar, agir e de viver. Um mix de rock pauleira ,romântico e bossa nova.
Desde meados de 1963 entre uma banda e outra Rita Lee põe o pé na estrada com os Mutantes (1966 / 1972) e participa de varios festivais de música brasileira . Chegou a gravar 6 discos com os Mutantes. Entre 1970 e 1972, grava 2 albuns solo onde acontece seu primeiro grande sucesso com a música "José" entre outros.
Em meados de 1973 Rita Lee lança a Banda Tutti Frutti (1973 / 1978) e lança o disco ""Fruto Proibido" que é considerado o melhor disco de rock nacional de todos os tempos.
Atingiu o ápice de sua carreira , produzindo grandes shows por todo o Brasil e se torna "Rita Superstar." Com sua eletricidade no palco,sua maneira inigualável de cantar e através da musica consegue libertar várias gerações de grilos até entao impostos por uma sociedade decadente...abre uma visão de novos valores e a liberdade de expressão.
Ela conquistou o Brasil com seu jeito eclético de ser. transformando o gênio em estrela.
Explode com "Ovelha Negra" acompanhada de "Esse Tal de Rocknroll", "Coisas da Vida", "Jardins da Babilônia", Miss Brasil 2000", "Agora so falta você", "Eu e meu gato"...
Juntamente com a Banda Tutti Frutti ela gravou 4 discos sendo o último deles "Babilônia" em 1978.
Neste meio tempo no ano de 1977 Rita Lee cai na estrada com o show "Refestança", juntamente com Gilberto Gil do qual se transforma em disco ao vivo algum tempo depois.
Naquela época Roberto de Carvalho fazia parte da banda de Ney Matogrosso e assim inicia o romance entre Rita Lee e Roberto de Carvalho, começando assim uma nova fase em sua carreira na qual fomos agraciados com obras primas deste amor.
Com a ditadura que dominava o Brasil desde 1964, com varios exílios e vetos...Rita Lee é presa em sua residência no ano de 1976 acusada de porte de drogas.
Lembro como se fosse hoje....foi um escândalo geral ; afinal alguém tinha que estar na linha de frente, mas escolheram a pessoa errada para isto. Rita Lee estava grávida de 3 meses e o país inteiro fica indiginado com as medidas tomadas.
O sensacionalismo durou um mes entre o DEIC e o presídio do Hipódromo e após foi condenada a regime domiciliar pelo período de um ano.
Uma vergonha!
E como não poderia ser diferente, acontece o lancamento do compacto "Arrombou a Festa" em parceria com Paulo Coelho. Que marca uma nova era na música brasileira.
Em 1981 juntamente com Roberto de Carvalho acontece o album "Saúde"...
Com sucessos como "Atlântida", "Banho de Espuma", "Mutante"......como mutante no fundo sempre sozinho.......adoro!
Uma época de inspiracao e consciência em "Flaga". "Cor de Rosa Choque", "Só de você", "On the Rocks", "Desculpe o Auê", "Virus do Amor", "Caso Sério"...
Apos 14 anos de parceria musical Rita Lee e Roberto de Carvalho seguem solo e Rita lança o show "Bossa'n'roll", em formato precursor que hoje chamamos de acústico.
Sucesso absoluto!
Em 1995 o grupo de rock "Rolling Stones" inicia uma turnê no Brasil e Rita Lee e convidada para abertura. E juntamente com Roberto de Carvalho lotam os estádios do Pacaembú em São Paulo e Maracanã no Rio.
Começam a fazer shows por todo o Brasil e lançam o CD ao vivo "A marca da Zorra".
Em 1996, após 20 anos de relacionamento Rita e Roberto oficializam a união.
Em 1997 lança o CD "Santa Rita de Sampa".
Em 1998 surge o CD "Acústico MTV" com participação especial de Milton Nascimento, Paula Toller, Cassia Eller e Titãs...O maior $ucesso!!!
Rita Lee vive sempre uma geração à frente dos seres normais do planeta e em 2000.
Lança "3001" produzido por Roberto de Carvalho e alcança o título de melhor disco de Rock no Grammy Latino em 2001.
Vários músicos de peso gravaram músicas de Rita tais quais; Caetano Veloso, Elis Regina, João Gilberto, Maria Betânia, Simone, Gilberto Gil, Marisa Monte, Gal Costa, Paula Toller, Gloria Estefan, Ney Matogrosso, Zelia Duncan, Milton Nascimento, Paul Mauriat, Henri Salvador, Zizi Possi, Yael Levy, Marina Lima entre varios...
O mito Rita Lee supera todas as expectativas como cantora, compositora, escritora, cinema e no vácuo do tempo ficamos a pensar......Alô, Alô Marciano....aqui quem fala é da terra........


$$$ Informações obtidas da Biografia de Rita Lee

quarta-feira, 4 de julho de 2007

Milton Nascimento - Eu Sou Minas Gerais by Jade da Rocha



Milton Nascimento nasceu no Rio de Janeiro em 26 de Outubro de 1942; filho de Maria do Carmo Nascimento e adotado nos primeiros anos de vida pelo bancário Josino Brito e Lília Silva que foi uma das influências em sua carreira musical por ser professora de música. Residiu no Rio de Janeiro por quase dois anos e mudou-se com seus parentes adotivos para a cidade de Três Pontas ; Provincia de Minas Gerais . Aos dois anos de idade tocou no teclado de um piano pela primeira vez e aos quatro anos ganhou uma sanfoninha de dois baixos sendo este seu primeiro instrumento de música. Após a aquisição de seu violão; se deliciava entre notas musicais na cozinha de sua residência ao lado do fogão à lenha sendo um dos lugares prediletos de sua inspiração musical.
E foi na casa de Wagner Tiso que aprendeu noções de piano com a mãe de Wagner.
Desde então Milton Nascimento se agarrou à música e juntamente com seu amigo de infância Wagner Tiso começaram a tocar em bailes locais atuando como crooner aos 13 anos de idade. Aos 15 anos juntamente com o pianista Wagner Tiso lançaram o conjunto Luar da Prata, viajando pelo interior mineiro em uma combi velha e constantemente agarrados no barro das estradas que era uma constante nas estradinhas estreitas do interior de Minas Gerais.
Trabalhou como Disc-Jóquei na Rádio Clube de Três Pontas simplismente pelo prazer de tocar na rádio musicas de João Gilberto entre outros...e chegou a diretor da rádio e comenta “Nós ouviamos de tudo sem preconceito, inclusive música Latina e Espanhola , como um elo da atmosfera cultural de Minas Gerais”, e conseqëntemente como crooner do Conjunto W’s Boys do qual mudou o nome Milton para Wilton pelo fato de todos os componentes da banda começarem o nome com a letra “W”; Wagner (Tiso), Waltinho, Wilson e Wanderley.
Foi então que a curiosidade de um empresário de Três Pontas em fundar uma gravadora os levou à Belo Horizonte / MG para a gravação de um compacto com a inclusão de uma de suas músicas “Barulho de Trem” pela Dex Discos do Brasil.
Neste meio tempo Milton Nascimento concluiu o curso de contabilidade e em 1963 mudou-se para a capital mineira de Belo Horizonte para prestar o vestibular em Economia e começou a trabalhar em um escritório de contabilidade como datilógrafo e contador e durante a noite tocava contrabaixo nas boates de BH . Foi nesta época que conheceu parceiros musicais como Fernando Brant, Lô Borges e Marcio Borges do qual era integrante do Grupo Evolussamba . Mesmo com o escasso limite de tempo Milton Nascimento encontrou inspiração e passou a compôr com maior freqüencia . Foi quando compôs Gira Girou, Novena, Paz do amor que vem. Coragem e Crença em parceria com Marcio Borges em meados de 1964 explorando as raízes barroco mineira que ao longo dos anos foi adquirindo em contato direto com a terra e sua cultura entre igrejas de bronze, alamedas de pedra cortada onde a rotina do tempo movimenta com o sino das igrejas, começa a despontar um Milton Nascimento trasparente; um retrato limpo dos aprendizados desta vida. E foi exatamente este apego às suas raízes que o fez diferente dos demais cantores da época e Milton Nascimento enfatiza “ Quando começei a compor, falei para mim mesmo e para meus parceiros que, se não cantasse a verdade, a minha verdade, eu não cantaria. E isso me deu um crédito enorme. As pessoas que ouvem as minhas músicas sabem que estou falando o que sinto”
Em seguida começou a apresentar-se no Bar Berimbau e na tradicional TV ITACOLOMI o trio de jazz formado com Wagner Tiso em uma era onde o jazz/bossa nova fazia parte da identidade de uma juventude fomenta por cultura.
Foi integrante do Conjunto Evolussamba e do Quarteto Sambacana na liderança de Pacífico Mascarenhas , do qual , foi juntamente para o Rio de Janeiro em 1965 para gravar um LP pela Odeon com o Quarteto Sambacana.
Em 1965 Milton Nascimento colocou o pé na estrada para participar de vários festivais de MPB e conseguiu o quarto lugar interpretando Cidade Vazia de composição by Baden Power e arranjo by Lula Freire no FNMP realizado pela TV Excelsior no Estado de São Paulo que era o centro de concentração de cantores daquela época como Elis Regina, Gilberto Gil, Edu Lobo, Caetano Veloso entre outros...
No mesmo ano o grupo Tempo Trio gravou “E a gente sonhando” de Milton Nascimento e foi quando Elis Regina convida Milton Nascimento para uma audição e após cantar todo o seu repertório inseguro de seus atributos, Elis Regina se encanta pela música de Milton e o resultado foi a gravação da música Canção do Sal por Elis Regina em seu segundo album pela Philips em 1966.
Em uma época financeiramente difícil na carreira de Milton Nascimento e ao mesmo tempo em que as portas se abriam ele tornou-se amigo de Agostinho Santos que era já era consagrado internacionalmente com a música Manhã de Carnaval e com a intensão de gravar composicões de Milton no seu próximo album e sem a autorização de Milton Nascimento, Agostinho gravou um tape com as três músicas de Milton e inscreveu no II FIC – Festival Internacional da Canção realizado pela Globo no Rio de Janeiro com as músicas Travessia com letra de Fernando Brant do qual obteve o segundo lugar, a música Morro Velho alcançando o sétimo lugar e ficando entre as 15 finalistas com a música Maria, minha fé . E ainda recebeu o Prêmio de melhor intérprete.
Em meados de 1967 fez um show no Teatro Casa Grande com Danilo Caymmi, Novelli e Ronaldo Bastos e gravou um LP com arranjo de Luís Eça pela Codil .
No final de 1967 ainda participou do show Travessia no Rui Barbosa dirigido por Paulo Sérgio Vale e também participou do show Viola Enluarada no Teatro Toneleros no Rio de Janeiro.
E no ano de 1968, Milton Nascimento começa sua carreira no mercado internacional nos U.S.A para o lançamento do album “Courage” com arranjos by Eumir Deodato pela A&M Records do qual incluiu as músicas “Catavento e Travessia” com apresentações pelos U.S e México.
De volta à suas raízes no Brasil em 1969; lançou o LP Milton Nascimento pela Odeon, incluindo no repertório “Beco do Mota, “Sentinela”e “Quatro Luas” , todas com Fernando Brant. Ainda nesse ano, fez a trilha sonora e participou como ator do filme Os Deuses e os Mortos, de Rui Guerra.
Compôs a Trilha Sonora do filme Tostão, a Fera do Ouro, incluindo a música “Aqui é o País do Futebol”com Fernando Brant e no mesmo ano o show Milton Nascimento e o Som Imaginário"; grupo de rock progressivo composto por Wagner Tiso, Robertinho Silva, Luís Alves e Zé Rodrix. no Teatro Opinião , Rio de Janeiro.
Em seguida gravou “Milton”(1970) incluindo as músicas Clube da Esquina (com Lô Borges e Márcio Borges); Para Lennon e McCartney (Fernando Brant ,Lô Borges eMárcio Borges ); Canto latino (com Rui Guerra) .
Participou do Festival Onda Nueva na Venezuela com Os Povos com Marcio Borges e em 1972 lançou Clube de Esquina um album duplo com Lô Borges, Beto Guedes, Toninho Horta, Wagner Tiso, Nivaldo Ornellas, Nelson Ângelo, Tavito entre outros, incluindo Cravo e canela com Ronaldo Bastos; San Vicente com Fernando Brant; Os povos e Lília com Fernando Brant; dedicada a sua mãe adotiva. Clube de Esquina é conseqüencia dos anos em que Milton e seus amigos se encontravam nos barzinhos de Belo Horizonte que até o dia de hoje tem ares de cidade do interior com a imposição da capital de Minas Gerais.
Em 1973 lançou "Milagre dos Peixes"ao vivo devido a repressão militar e realizou um show intitulado com o mesmo nome apresentado no Teatro Municipal de São Paulo e no Rio de Janeiro acompanhado pelo Som Imaginário e orquestra em 1974.
Na década de 70 decorrente à ditadura que avassalava por todo o país e vários exilios;
Milton também teve algumas de suas músicas sensuradas pelo Regime Militar tais como:
Escravo de Jó, Hoje é dia de el rei e Cadê.
No ano de 1975 lança nos U.S “Native Dancer”com o saxofonista Wayne Shorter (ex- Miles Davis) , Airto Moreira e Herbie Hancock entre outros.
E no Brasil "Minas"em 1975 e "Gerais"pela EMI em 1976;
E no ano de 1978 lança no Brasil “Clube de Esquina II” que é o seu último trabalho com a gravadora EMI e em 1979 lançou seu terceiro disco nos E.U.A.; a antologia “Journey to Dawn” pela A&M Records.
Em 1980 lançou “Sentinela” pela Polygram, , que trazia o sucesso “Canção da América e a participação da Oficina Instrumental Uakti e do guitarrista Ricardo Silveira.
No ano de 1981, lançou o LP “Caçador de Mim”, com os sucessos “Nos bailes da vida” e “Caçador de mim”
E no mesmo ano , participou do filme Fitzcarraldo, de Werner Herzog.
Em 1982 gravou “Missa dos Quilombos” idealizado dos textos de Dom Pedro Casaldáliga; arcebispo de São Félix do Araguaia MT, e do poeta Pedro Tierra e “Anima”, lançando as músicas “Certas Canções” e “Essa Voz”.
Em 1983 o LP “Milton Nascimento” ao vivo, com a participação especial de Gal Costa. gravado no Anhembi de São Paulo.
No mesmo ano, participou no filme Buriti, de Carlos Alberto Prates Correia.
Em 1985 lançou o LP “Encontros e despedidas”, com a música “Noites do sertão”, composta para o filme homônimo de Carlos Alberto Prates Correia.
E no ano de 1986, lançou “A barca dos Amante”, gravado ao vivo com a participação de Wayne Shorter e seu último trabaIho pela Polygram.
Em 1986 recebeu o Prêmio Shell.
Em 1987, lançou o disco Yauaretê” pela CBS
Em 1988 lançou o LP Miltons”, com a música Bola de Meia, Bola de Gude (c/Fernando Brant). Em 1990 lançou o CD “Txai”, doando parte dos direitos autorais de vendagem do disco a entidades indígenas e alcançou primeiro lugar no “Billboard World Music List” com o respectivo album.
Em 1991 lança O Planeta Blue na Estrada do Sol”.
E no ano de 1993, gravou o CD “Angelus” pela Warner, com a participação especial dos cantores Jon Anderson e James Taylor produzido por Russ Titelman.
Foi premiado pelas Nações Unidas com o “World Rain Forest”em maio de 1996 pelo seu envolvimento em atividades em prol da ecologia e respeito pela natureza, do qual considera um dos prêmios mais importantes e comenta “É um dos mais importantes por não ser um prêmio político”.
Recebeu o Título de “Cidadão Honorário de Minas Gerais” e também um dos títulos mais importantes do país “A Ordem do Rio Branco”.
E também o título "Chevalier des Arts et des Lettres" incluindo um lanche privado no “Elysée Palace”com o Presidente Francês François Mitterand.
No ano de 1996 , apresentou o show Amigo em Nova York , acompanhado por um coro de 30 crianças e pela Orquestra Filarmônica de Nova York ; em seguida, com o mesmo show, participou do Festival de Jazz de Montreux, na Suíça, e do Festival de Tübingen, na Alemanha.
No final do ano 1996, apresentou o mesmo show no The Royal Albert Hall em Londres, acompanhado pela Royal Philharmonic Concert Orchestra com sucesso absoluto.

Milton Nascimento começa a ter complicações de saúde decorrente de anorexia nervosa e no ano de 1997 lança o LP “Nascimento” pela WEA com composições como “Rouxinou” e “Levantados do Chão”em parceria com Chico Buarque de Holanda
Apareceu por duas vezes consecutivas na Revista de jazz Down Beat recebendo o título de “Melhor Artista do Ano” na categoria de jazz.no ano de 1997.
Ainda no ano de 1997, a Polygram lançou caixa com dez CDs, remasterizados em Londres nos estúdios Abbey Road.
No final do ano de 1997, colocou o pé na estrada e levou o show “Tambores de Minas” aos quatro cantos do país um encontro dos mestres Milton Nascimento e do Diretor de Teatro Gabriel Villela e as músicas “Louva a Deus”e “Teatro do Mundo”viraram clássicos assim como “Canção da América”e “Caçador de Mim”proclamado pela crítica brasileira como o melhor espetáculo e show do ano e um dos melhores da sua carreira. O show composto de 9 dançarinos, acrobatas e a banda de cantores e compositores gravaram o show “Tambores de Minas” ao vivo no Rio de Janeiro, realizando 80 shows pelo país e atingindo um público de mais de 200.000 pessoas.
E gravou um documentário sobre sua vida e obra, dirigido por Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor, com a participação de Alcione, Chico Buarque de Holanda, Gilberto Gil, Wagner Tiso, entre outros.
Em 1997 Milton Nascimento teve participação especial em Rhythm Of The Saints, que com sua voz melancolica encantou Paul Simon e o resto do planeta.
Recebeu o Grammy em 1998 na categoria de musica internacional com o album "Nascimento".
Ocorreu também o lançamento do livro Os sonhos não envelhecem - Histórias do Clube da Esquina, de Márcio Borges.
Milton Nascimento participou de filmes como ator e compositor tais como "Os Deuses e os Mortos" de Ruy Guerra; "Noites do Sertão" de Carlos Alberto Prates; "A Terceira Margem do Rio" de Nelson Pereira dos Santos; "Veja Esta Canção" de Carlos Diegues; e "O Viajante" de Paulo Cezar Saraceni. Compôs para "Poema Sujo" de Ferreira Gullar e para o balé musical do Grupo O Corpo com "Maria, Maria" e"Último Trem" para o Grupo Stagium "Missa dos Quilombos" do qual receberam atentado de bomba pelo sentimento anti-racista. E para a Parsons Dance Company "Nascimento".
Em 1999 lançou o album "Crooner", um tributo ao passado interpretando “Only you”; “Frenesi”, música de Samuel Rosa, Lulu Santos, Nando Reis, Dolores Duran e do grupo Tamba Trio com uma aceitação admirável com mais de 300.000 cópias vendidas a WEA lança uma edição especial de Platina e no ano 2000 recebeu o Latin Grammy de Melhor Album Pop do Ano.
Após o sucesso de “Crooner”, Milton Nascimento embarca juntamente com Gilberto Gil em “Gil e Milton” incluindo sons de Ari Barrroso, Dorival Cayme, Luis Gonzaga, George Harrison e Fito Paez resultando uma tournê pela Europa, America Latina e obviamente Brasil.
Em 2002 Milton Nascimento lançou seu próprio sêlo”Nascimento” distribuido pela WEA. Em dezembro do mesmo ano lançou o album “Pietá” consagrado pelo público como um dos melhores trabalhos dos últimos anos e recebendo o prêmio de “Melhor Album de Música Brasileira de 2003”. “Pietá é um tributo à sua mãe adotiva Lília Silva com as canções "Feminina Voz Do Cantor," "Casa Alberta," "Beleza E Canao," "Tristesse," "Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor," "Imagem E Semelhanca," "Lagrima E O Rio," "Voa Bicho," "Outro Lugar," "As Vezes Deus Exagera," "Cantaloupe Island," "Pieta," "Beirra-Mar Novo," "Os Meninos De Aracuai," "Boa Noite" and "Vozes Do Vento."
Entre seus grandes sucessos ; "Nos Bailes da Vida"; "San Vicente", "Bola de Meia Bola de Gude" (escrita com Fernando Brant); "Paula e Bebeto" (escrita com Caetano Veloso),
"Canção da América" (escrita com Fernando Brant), "Coração de Estudante" (escrita com Wagner Tiso), "Fé Cega, Faca Amolada" ( Escrita com Ronaldo Bastos), "Maria Maria" (escrita com Fernando Brant), "O Cio da Terra" (escrita com Chico Buarque), "Cais" (escrita com R. Bastos), "Encontros e Despedidas" (escrita com F. Brant), "Calix Bento" (Tavinho Moura), "Nada Será como Antes" (escrita com R. Bastos), "Fazenda" (escrita com Nelson Ângelo) and "Cravo e Canela" (escrita com R. Bastos). "Sentinela" (escrita com F. Brant), "Um Girassol da Cor do Seu Cabelo" (L. Borges/ M. Borges), "Milagre dos Peixes" (escrita com F. Brant), "Ponta de Areia" (escrita com F. Brant), "Beijo Partido" (escrita com Toninho Horta), "Guardanapos de Papel” "Tudo Que Você Podia Ser" (Lô Borges/ Márcio Borges),
Teve participações especiais com músicos como Peter Gabriel, James Taylor, Paul Simon, Jon Anderson (Yes), Sting , Sarah Vaughn, Warren Cuccurulo (Duran Duran) entre vários outros.

Milton Nascimento é abençoado com uma voz estraordinariamente harmoniosa e serena e ao mesmo tempo soa como um grito de liberdade e dor ardente que ultrapassa todas as barreiras e limites impostos pelo capitalismo; sua música retrata a história de Minas Gerais; é como se você estivesse voltando para casa e revivendo momentos inocentes e captando cada detalhe do que restou de um Brasil Imperialista. Ele consegüe unir o passado e o presente atravez da melancolia de sua voz.


Nos Bailes da Vida
(M. Nascimento - Fernando Brant, 1981)
Foi nos bailes da vida
Ou num bar em troca de pão
Que muita gente boa pôs o pé na profissão
De tocar um instrumento e de cantar
Não se importando se quem pagou quis ouvir
Foi assim
Cantar era buscar o caminho que vai dar no sol
Tenho comigo as lembranças do que eu era
Para cantar nada era longe, tudo tão bom
'Té a estrada de terra na boléia de caminhão
Era assim
Com a roupa encharcada e a alma repleta de chão
Todo artista tem de ir aonde o povo está
Se foi assim, assim será
Cantando me disfarço e não me canso de viver


quinta-feira, 28 de junho de 2007

Ed Motta by Jade da Rocha






Ed Motta nasceu na Tijuca-Rio de Janeiro em 17 de agosto de 1971.
E desde criança ja mostrava interesse por música e como disse sua mãe Luzia; um dos favoritos hits era "You Are The Sunshine Of My Life" de Steve Wonder.
Participou de vários concursos de dança juntamente com sua irmã Regina e o sonho de poder assistir "Os Embalos de Sábado À Noite" já que a idade não permitia.
Foi a partir daí que começou o interesse em colecionar discos e fugindo da sua origem disco/funk/soul começa a pesquisar desde Scooty Moore à Jimmy Page. Foi então convidado para ser o vocalista da banda de hard rock "Kaballah" sendo influenciado por Iron Maiden e Thin Lizzy e tocava Black Sabbath, Deep Purple, AC/DC entre outros.
Após esta fase começou a tocar blues/rock até que descobriu Jeff Back e voltou ao berço da música negra.
A partir daí escreveu em fanzine sobre musica negra, foi dublê de DJ e chegou a organizar juntamente com sua amiga Lisiane, a semana de soul e funk no MIS (Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro).


Ed Motta + Jade da Rocha


O encontro com o "Comprido" (Luiz Fernando, guitarrista do Conexão Japeri) fez surgir esta união de banda e o lançamento do seu primeiro disco. Foi então que nasceu a necessidade de seguir a carreira solo e lançou o segundo disco "Um contrato com Deus."

Ed Motta foi morar em Nova York e gravou um disco Eddie Gomez, Bernard Purdie e Chuck Rayney do qual nunca saiu e como ele mesmo cita; talvez nunca saia. Em Nova York, descobriu a música erudita de Grieg, Fauré, Cesar Frank, Debussy e outros nas bibliotecas públicas da cidade.

Nos EUA foi quando surgiu a 1ª composição inspirada na "música popular brasileira de harmonia rica" (mpbhr). O tema "Crescente Fértil", que 3 anos depois teve a honra de uma parceria com o gênio Aldir Blanc e incluí-la em seu disco de 50 anos.

Ed Motta conta que:
"Me lembro que liguei para o Guinga e toquei pelo telefone para ele, meu grande mestre. Na volta para o Brasil me esqueci que o tipo de mpb que queria fazer não era muito "viável" e fiquei pelo menos um ano paralizado por isso. "Paralizado numas" fiz a trilha do Pequeno Dicionário Amoroso e vários shows pelo Brasil e EUA, Buenos Aires, Roma e Paris. E compondo muito, aliás , compor para mim é como respirar. Paralizado no sentido de registro em disco.
Apesar de ser brasileiro se a questão é ritmo eu e uma grande parte da minha geração fomos expostos muito mais ao pop norte-americano e inglês inicialmente. Aí pensei: posso fazer uma coisa popular de nível, sofisticação, cuidado, etc mas que remetesse a minha irônica "raiz" inicial : o soul/funk norte-americano. Então iniciei a idéia de Manual Prático Para Festas, Bailes e Afins Vol.I . Foi com prazer saudosista que realizei este disco. A todo momento me lembrava do Conexão e Contrato Com Deus e toda noite quando voltava para casa ouvia mus discos de vinil de soul/funk e os de reggae também, que até então não ouvia mais.Aliás um hábito que tenho nos dias livres, escutar, limpar e botar novos plásticos de proteção para os antigos vinis, adoro! São meus cachorros que não latem..."

*Informações obtidas da Biografia de Ed Motta