"O amor não envergonha, não rejeita. O amor incita a crescer, inovar, criar.
O amor transforma, aflora sentimentos nobres".







 

quinta-feira, 28 de junho de 2007

Ed Motta by Jade da Rocha






Ed Motta nasceu na Tijuca-Rio de Janeiro em 17 de agosto de 1971.
E desde criança ja mostrava interesse por música e como disse sua mãe Luzia; um dos favoritos hits era "You Are The Sunshine Of My Life" de Steve Wonder.
Participou de vários concursos de dança juntamente com sua irmã Regina e o sonho de poder assistir "Os Embalos de Sábado À Noite" já que a idade não permitia.
Foi a partir daí que começou o interesse em colecionar discos e fugindo da sua origem disco/funk/soul começa a pesquisar desde Scooty Moore à Jimmy Page. Foi então convidado para ser o vocalista da banda de hard rock "Kaballah" sendo influenciado por Iron Maiden e Thin Lizzy e tocava Black Sabbath, Deep Purple, AC/DC entre outros.
Após esta fase começou a tocar blues/rock até que descobriu Jeff Back e voltou ao berço da música negra.
A partir daí escreveu em fanzine sobre musica negra, foi dublê de DJ e chegou a organizar juntamente com sua amiga Lisiane, a semana de soul e funk no MIS (Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro).


Ed Motta + Jade da Rocha


O encontro com o "Comprido" (Luiz Fernando, guitarrista do Conexão Japeri) fez surgir esta união de banda e o lançamento do seu primeiro disco. Foi então que nasceu a necessidade de seguir a carreira solo e lançou o segundo disco "Um contrato com Deus."

Ed Motta foi morar em Nova York e gravou um disco Eddie Gomez, Bernard Purdie e Chuck Rayney do qual nunca saiu e como ele mesmo cita; talvez nunca saia. Em Nova York, descobriu a música erudita de Grieg, Fauré, Cesar Frank, Debussy e outros nas bibliotecas públicas da cidade.

Nos EUA foi quando surgiu a 1ª composição inspirada na "música popular brasileira de harmonia rica" (mpbhr). O tema "Crescente Fértil", que 3 anos depois teve a honra de uma parceria com o gênio Aldir Blanc e incluí-la em seu disco de 50 anos.

Ed Motta conta que:
"Me lembro que liguei para o Guinga e toquei pelo telefone para ele, meu grande mestre. Na volta para o Brasil me esqueci que o tipo de mpb que queria fazer não era muito "viável" e fiquei pelo menos um ano paralizado por isso. "Paralizado numas" fiz a trilha do Pequeno Dicionário Amoroso e vários shows pelo Brasil e EUA, Buenos Aires, Roma e Paris. E compondo muito, aliás , compor para mim é como respirar. Paralizado no sentido de registro em disco.
Apesar de ser brasileiro se a questão é ritmo eu e uma grande parte da minha geração fomos expostos muito mais ao pop norte-americano e inglês inicialmente. Aí pensei: posso fazer uma coisa popular de nível, sofisticação, cuidado, etc mas que remetesse a minha irônica "raiz" inicial : o soul/funk norte-americano. Então iniciei a idéia de Manual Prático Para Festas, Bailes e Afins Vol.I . Foi com prazer saudosista que realizei este disco. A todo momento me lembrava do Conexão e Contrato Com Deus e toda noite quando voltava para casa ouvia mus discos de vinil de soul/funk e os de reggae também, que até então não ouvia mais.Aliás um hábito que tenho nos dias livres, escutar, limpar e botar novos plásticos de proteção para os antigos vinis, adoro! São meus cachorros que não latem..."

*Informações obtidas da Biografia de Ed Motta



Nenhum comentário:

Postar um comentário